Programa e Prioridades - Presidência Romena

Programa e Prioridades da Presidência Romena

Programa da Presidência Romena – Resumo do programa (em inglês)

As prioridades da Presidência romena são impulsionadas pelo lema da coesão, um valor europeu comum, entendida como a unidade, a igualdade de tratamento e a convergência.

O programa da Presidência articula-se em torno de quatro prioridades principais: a Europa da convergência, uma Europa mais segura, a Europa como forte interveniente mundial e a Europa de valores comuns.

A Presidência organizará ainda em Sibiu uma cimeira no Dia da Europa, que servirá para orientar o debate sobre o futuro da Europa. É a primeira vez que a Roménia exerce a Presidência rotativa do Conselho.

  • No âmbito da Agricultura

A negociação do pacote legislativo relativo à reforma da Política Agrícola Comum (PAC), no contexto do novo Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027é a principal prioridade da Presidência romena no domínio da agricultura.

A Presidência continuará o debate visando a modernização e simplificação da PAC, assegurando que, através do processo de reforma, as disposições do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia sejam cumpridas.

Atendendo à importância que a PAC desempenha no aumento da coesão e da competitividade do mercado único, a modernização e a simplificação aumentarão a eficácia das intervenções no âmbito desta política, providenciando no futuro um nível de vida justo à população ligada à agricultura, garantindo a segurança alimentar, assegurando preços dos alimentos razoáveis para todos os cidadãos e o aumento da produtividade e competitividade da agricultura europeia, tendo em consideração a natureza especial da agricultura que resulta da estrutura social da atividade agrícola e das diferenças naturais e estruturais entre as diversas regiões.

Tendo em conta o objetivo de adotar uma política agrícola melhor adaptada aos futuros desafios e exigências que satisfaça adequadamente as necessidades e as especificidades dos Estados-Membros, o prosseguimento dos trabalhos de preparação para o próximo período de programação constitui um dos principais objetivos da Presidência.

Em total articulação e complementaridade com as negociações do Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027, a Presidência terá como objetivo fazer avançar as discussões e facilitar o consenso em elementos-chave da futura PAC, com vista a alcançar uma abordagem geral parcial sobre as propostas legislativas incluídas no pacote de reforma da PAC.

A bioeconomia, a inovação e a investigação agrária são igualmente alguns dos temas que serão alvo de discussão no primeiro semestre de 2019, no âmbito do Conselho da União Europeia.

Prevê-se igualmente prosseguir os debates visando a identificação de medidas para incentivar a produção de proteína vegetal, com o objetivo de garantir a independência da UE neste setor.

Sendo a proposta de Diretiva relativa às Práticas Comerciais Desleais um passo importante para consolidar a posição dos agricultores na cadeia de abastecimento do setor agroalimentar a Presidência pretende prosseguir no sentido da adoção da proposta.

Outro tema de interesse para o sector agroalimentar europeu é a proposta de revogação do Regulamento sobre definição, descrição, apresentação, rotulagem e proteção das indicações geográficas das bebidas espirituosas pelo que se pretende finalizar as negociações e adotar a proposta.

No domínio da Fitossanidade, serão envidados esforços para aumentar a sensibilização da opinião pública para esta matéria promovendo o desenvolvimento de infraestruturas fitossanitárias nos Estados-Membros, no contexto da implementação dos novos regulamentos relativos à fitossanidade (fitossanidade e controlos oficiais) e dos programas de informação pública sobre os acontecimentos que ocorrerão em 2020 (Ano Internacional da Fitossanidade).

estratégia única de controlo e proteção da saúde animal nas fronteiras da UE será um tema prioritário, constatada a presença de doenças virais graves em países limítrofes da UE. A prevenção é o elemento-chave para a manutenção do território da UE livre de animais afetados, protegendo assim a atividade e desenvolvimento da pecuária, a qual contribui significativamente para o crescimento económico dos Estados-Membros e da União Europeia, no seu conjunto.

A implementação de medidas de controlo, monitorização e erradicação das principais doenças animais tem um forte impacto social e económico. Por esta razão, uma estratégia única aplicada uniformemente pelos Estados-Membros fortaleceria a capacidade de prevenção da UE. A biossegurança é a principal ferramenta na prevenção do contato de agentes patogénicos com animais expostos.

O objetivo é alcançar um acordo sobre os elementos técnicos considerados essenciais na UE e sobre medidas harmonizadas de biossegurança. As Recomendações do Grupo dos Chefes dos Serviços Veterinários podem ser o ponto de partida para o desenvolvimento futuro de regulamentação específica nesta área.

Outro tema importante que a Presidência pretende abordar diz respeito aos progressos obtidos na implementação do Plano de Ação da União Europeia contra a Resistência Antimicrobiana no domínio da medicina veterinária, "Uma só saúde".

A transparência do sistema da UE na avaliação de riscos na cadeia alimentar, o processo de tomada de decisões, a comunicação eficaz e consistente e a sensibilização dos cidadãos relativamente a estes assuntos, são matérias que serão tratados com particular atenção pela Presidência.

  • No âmbito da Floresta

Adaptar o setor florestal às alterações sociais e climáticas e travar a degradação dos solos. A agenda europeia coloca uma ênfase especial na adaptação às alterações climáticas e na gestão sustentável das florestas, no contexto da Agenda 2030 e do processo “Forest Europe”, bem como na promoção de uma nova estratégia florestal para a União Europeia após 2020.

Neste domínio da política florestal o principal objetivo é a preparação da participação da UE, bem como dos Estados-Membros, no Fórum das Nações Unidas sobre as Florestas e a revisão dos progressos alcançados na execução da estratégia florestal da UE, com vista a um acordo vinculativo sobre florestas na Europa.

Pretende-se igualmente a revisão das atividades da UE para travar a desflorestação e o Plano de Ação para a aplicação da legislação, a governação e o comércio no setor florestal (FLEGT).

 

Conselho de Ministros de Agricultura e Pescas

O Conselho adota legislação na maioria dos casos, em co-decisão com o Parlamento Europeu, numa série de domínios que incluem as várias áreas abrangidas pela Política Agrícola que incluem a política agrícola comum (PAC), as regras aplicáveis ao mercado interno da agricultura, a silvicultura, a produção biológica, a qualidade da produção e a segurança dos géneros alimentícios e dos alimentos para animais.

O Conselho de Ministros é precedido por duas instâncias preparatórias:

  • Comité Especial de Agricultura - prepara os trabalhos, nomeadamente no que respeita a todos os dossiês relativos à Política Agrícola Comum
  • Comité de Representantes Permanentes - prepara as questões veterinárias e fitossanitárias, bem como, todos os dossiês respeitantes à Política Comum das Pescas

 

Calendário das reuniões do Conselho de Ministros de Agricultura e Pescas, da Presidência Romena (consulte aqui) 

 Data

 Local

 Documentos

  28 janeiro 2019

  Bruxelas

Agenda e Resultados da Reunião

  18 março 2019

  Bruxelas

Agenda e Resultados da Reunião

  15 abril 2019

  Luxemburgo

Agenda e Resultados da Reunião

  14 maio 2019

  Bruxelas

Agenda e Resultados da Reunião

  3 e 4 junho 2019

  Conselho Informal (RO)

        Agenda e Resultados da Reunião

  18 junho 2019

  Luxemburgo  Agenda e Resultado da Reunião

Contactos

Email: geral@gpp.pt

 

Telefone:

(+351) 213 234 600

Fax:

(+351) 213 234 601
 

Encarregado da Proteção de Dados do GPP: encarregado.protecao.dados@gpp.pt

 

Data de atualização

13-05-2021

 

rep_pt1gppMAMM.png

 

w3cvalidhtml5png

Copyright © 2018 GPP. All rights reserved.

Pesquisar